Falha em gabarito de concurso público gera polêmica

Arrow
Arrow
Slider

A prova do concurso público ’01/2016′ realizado em Peruíbe, no litoral de São Paulo, no último domingo (8), foi marcada por polêmica. Além do impasse na Justiça envolvendo a nomeação de futuros aprovados, candidatos que prestaram o concurso reclamaram que o gabarito oficial a ser preenchido tinha o número de alternativas (letras) inferior ao que constava nas provas. Candidatos reclamam que prova tinha 5 alternativas e gabarito apenas 4.
gabaritoSegundo apurado pelo G1, o problema ocorreu no processo seletivo para o cargo de professor de artes, cuja avaliação foi aplicada no período da tarde.

“As provas tinham alternativas que iam da letra A até a E, já o gabarito oficial disponibilizado pelo instituto já com o nosso número de inscrição tinha alternativas até a letra D. Isso coloca em xeque a credibilidade do processo”, disse uma professora que prefere não se idenficar.

A professora contou que mesmo os candidatos reclamando o problema para os fiscais, os coordenadores não quiseram dar explicações nas salas de aula. “O jeito que eles encontraram foi dar um outro sem identificação oficial do Instituto Moura Melo (responsável pela prova). Tivemos que escrever nosso nome e inscrição tudo a mão, mesmo assim parece marmelada. É ridículo. Lá fora teve confusão e muita gritaria porque ninguém estava aceitando isso”, reclamou.

INTERESSES
SAIBA O QUE REALMENTE É O GENIUS X. ELE FUNCIONA MESMO OU É ENGANAÇÃO?
ENTRE E VEJA COMO A RITALINA PODE ACABAR COM A SUA VIDA
MECFLIX – A NETFLIX DE ESTUDOS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 

Para comprovar a possível falha, a professora disse que entregou ao fiscal o “segundo gabarito” e ficou com o oficial e a prova. “Eles nem perceberam que eu sai com o gabarito errado, mas isso não é justo. Tinha gente de outras cidades, que deixaram as famílias no dia das mães para uma palhaçada dessas. Sem organização”, acrescentou.

O G1 tentou entrar em contato pelo telefone com o Instituto Moura Melo, responsável pela avaliação, mas ninguém atendeu às ligações. A prefeitura de Peruíbe também não retornou o email enviado.