APRENDA A ESTUDAR PARA CONCURSO PÚBLICO

Produzimos o melhor conteúdo para concurseiros. Aqui tem tudo que você precisa para ser aprovado.

Porque junto ou separado | Entenda o uso dos porquês

A língua portuguesa pode pregar em nós diversas peças, mas se formos mais espertos que elas e entendermos sua gramática podemos até brincar com ela. Mas antes você deve saber se deve escrever porque junto ou separado.

Neste artigo, você vai entender de uma vez por todas como fazer o uso dos porquês.

Porque, por que, porquê e porquê?

Calma! Não precisar ficar com vergonha de vir até a internet procurar se você deve utilizar o porque junto ou separado. Eu teria mais vergonha de escrever errado.

entenda o uso dos porques

Regras do porque junto ou separado

Você possivelmente tem dúvidas na hora de escrever “PORQUE”, certo? Então seus problemas estão a um minuto de serem solucionados trouxemos uma explicação bastante simples e ao mesmo tempo fácil de gravar na memória com as regras básicas dos porquês!

Porque – junto

O porque junto se usa quando a frase se caracteriza com uma causa ou explicação e ‘sempre’ pode ser trocada pela expressão, “pois”, ou “uma vez que”.

Vamos ver alguns exemplos para você entender melhor:

  • Não vim jogar porque não tive tempo.
  • Trocando: Não vim jogar, pois não tive tempo.
  • Estou assim porque a vida não é fácil pra ninguém.
  • Trocando: Estou assim, pois a vida não é fácil pra ninguém.
  • Por que não veio? Porque não tive vontade.
  • Trocando: Por que não veio? Pois não tive vontade.

Por que – Separado

O por que separado indica quase sempre uma pergunta, mas existem casos em que podemos identificá-lo se ele puder ser trocado por uma das seguintes palavras: Por qual, por qual razão, por qual motivo, pelo qual, pelos quais, ou seja, indica razão, motivo, pelo qual.

Vamos aos exemplos:

  • Você nem sabe por que ela é assim.
  • Trocando: Você nem sabe por qual motivo (ou por qual razão) ela é assim.
  • Por que você foi lá?
  • Trocando: Por qual razão (ou motivo) você foi lá?
  • Por que quer saber?
  • Trocando: Por qual razão (ou motivo) quer saber?
  • Por quê – Separado e com acento

[mks_button size=”large” title=”NÃO CONSEGUE DECORAR ESSAS REGRAS? CLIQUE AQUI” style=”squared” url=”https://www.concurseirosdamadrugada.com.br/tecnicas-de-memorizacao-para-estudo/” target=”_blank” bg_color=”#81d742″ txt_color=”#FFFFFF” icon=”” icon_type=”” nofollow=”0″]

Por quê – separado com acento

Utiliza-se o por quê separado e com acento sempre no final das frases, desse modo antes da pontuação quando se tem um ‘porque’ usa-se ele separado e com acento.

Vamos os exemplos:

  • Você foi embora por quê?
  • Não gostou do bolo por quê?
  • Não quer comer isso por quê?

*São utilizados sempre antes dos pontos, podendo ser de exclamação, afirmação ou interrogação, mas nunca antes da vírgula, dependo apenas do sentido da frase. Aqui os por quês indicam motivos e razões.

Porquê – junto e com acento

O porquê junto e com acento só deve ser utilizado em casos em que é antecedido por um artigo definido, ou seja, a, o, as ou os. Também pelos pronomes adjetivos, sendo elas, aquele, este, esse, meu ou então de forma numeral.

Exemplos:

  • Este porquê é um subjetivo.
  • Explicação: Foi antecedido de um este.
  • Não sei o porquê de tanto confusão.
  • Explicação: Foi antecedido do artigo definido O.
  • Existem quatro porquês na língua portuguesa.
  • Explicação: Foi antecedido do numeral quatro.

Viu só?! É muito fácil aprender a regra dos porquês e agora você já sabe quando usar porque junto ou separado, com acento ou sem. Afinal a língua portuguesa pode ser esperta, mas ela não é duas!

E por isso, juntos podemos decifrar os mais diversos hieróglifos (palavras difíceis) que aparecer! Em casos de dúvidas envie-nos o seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para o topo